You are currently viewing Quando discordamos na educação dos nossos filhos.

Quando discordamos na educação dos nossos filhos.

Não é fácil alinhar crenças, condutas e objetivos na educação dos filhos (apesar de super importante). Quando unimos duas pessoas unimos dois mundos diferentes. Cada um veio de uma criação, teve experiências diferentes, aprendeu “verdades” e criou crenças sobre a vida a partir de sua própria infância que foi única e incomparável. Olhar para a educação dos filhos é encontrar-se com sua própria história, sua própria educação.
.
Hoje, na busca de conduzirmos nossos filhos de maneira mais assertiva, convidamos aos casais e cuidadores a olharem para essas diferenças como oportunidades. O mundo é feito de discordâncias, diferenças e diversidade, e crescer aprendendo a lidar com tudo isso e aproveitar esses contextos será uma das habilidades mais importantes que podemos ensinar e ajudar nossas crianças a desenvolverem.
.
Resolução de problemas complexos, empatia, escuta ativa, criatividade, diálogo real e habilidade de encontrar soluções em meio a ambientes tão diversos serão habilidades cada vez mais essenciais.
Pensando nisso, o que fazemos quando discordamos de nossos pares na criação de nossos filhos? Como podemos ser exemplos do diálogo, da escuta e de todas as habilidades citadas a cima? Sabemos fazer isso? Talvez sim, talvez não. Mas vale o esforço. Se tivéssemos aprendido isso desde criança saberíamos, naturalmente.
.
É preciso ter consciência do que você não abre mão, quais são seus valores essenciais, seus pilares de condução dessa educação e abrir-se para ouvir o outro lado também. Chegar a um caminho do meio, entender as dúvidas, medos, expectativas e objetivos de todos os envolvidos e respeitar o que não dá para ser negociado.
Talvez leve tempo. Talvez sejam necessários alguns meses de conversa. Talvez exija mais paciência do que você estava disposto a ter antes de ler este post. Mas adulto assume a responsabilidade pelo resultado que quer alcançar e faz o que precisa ser feito. Se esforça, busca ajuda se for necessário.

Da um passo para traz para depois dar dois para frente . A criança é que chora e reclama, cruza os braços e culpa o outro, esperando que alguém venha passar a mão na cabeça e dizer que ele está certo e que o outro vai ficar de castigo. E também não queremos ensinar isso para nossos filhos né?


Cada caso é um caso, não vale a pena julgar, mas o importante é cada um olhar-se e perceber o que EU posso fazer diante dessas discordâncias? Claro que muita coisa não está no seu controle, e diante de situações assim, o que quero ensinar para meu filho? Que habilidade, valor ou comportamento seria importante aqui?


Não é fácil. Mas ninguém disse que seria. Criar filhos de maneira consciente e assertiva, olhando para o futuro que esperamos para eles exige mais de nós do que deles. E isso é incrivelmente maravilhoso, pois estamos aqui para nos desenvolvermos e evoluirmos, não estamos?

Deixe um comentário